Skip to content

Green color

    Increase font size  Decrease font size  Default font size  Skip to content
Edição 3



APRESENTAÇÃO Imprimir E-mail

Uma revista em seu terceiro número é uma promessa ainda, mas a concretude de seu conteúdo com oito artigos originais é uma pequena vitória. Ainda nos faltam boas condições de equipe para tocar com celeridade a seleção e edição dos artigos que nos chegam de cidades, regiões e países tão diversos como a própria SIPLE soe ser.

Leia mais...
 
1. O Status da Variedade Brasileira do Português no Mercosul: Delineamento de uma Pesquisa em Curso Imprimir E-mail
Escrito por Lêda Corrêa - Universidade Federal de Sergipe, Sergio Ricardo Lima de Santana - Bolsista Posdoc PNPD/CAPES - ISSN 2316-6894   

Resumo
O mapeamento geopolítico e a pesquisa metodológica do ensino de PLE nos países integrantes do Mercosul constituem tarefas fundamentais para alicerçar a atuação do Brasil, no âmbito político e educacional, com o objetivo de garantir uma participação proeminente da variante brasileira em correspondência às relações políticas, comerciais e econômicas entre os países do bloco, bem como às demandas sociais da região. Este trabalho defende a necessidade do planejamento de uma política linguística brasileira em adequação à importância do português brasileiro, ao passo que descreve a proposta da pesquisa atualmente em desenvolvimento no âmbito do projeto ‘Formação docente e inovação tecnológica para o ensino-aprendizagem de PLE’ (PNPD/CAPES e FAPITEC).

Palavras-chave:Ensino de PLE; Mercosul; política lingüística

Leia mais...
 
2. Compreensão em leitura em português língua estrangeira (PLE) e os limites da postura intercultural Imprimir E-mail
Escrito por Rosiane Xypas - Universidade Federal de Campina Grande - UFCG - ISSN 2316-6894   

Resumo:
A partir da compreensão de leitura de um texto literário e humorístico escrito em Português como Língua Estrangeira (PLE), nosso objetivo com este artigo foi o de investigar, mediante a aplicação de 2 questionários, a que monta um texto considerado simples nas perspectivas linguística,  das representações culturais e do humor num quadro-limite de referência intercultural.

Palavras-chave: o texto simples para compreensão, aspectos da compreensão da linguagem escrita, representações culturais na compreensão de leitura

Leia mais...
 
3. Marcas Enunciativas em Produções Escritas em PLE Imprimir E-mail
Escrito por Webert Cavalcanti Barros (UFPB) , Regina Celi Mendes Pereira (UFPB) - ISSN 2316-6894   

Resumo

O processo de ensino e aprendizagem em Português Língua Estrangeira (PLE) faculta ao aprendiz não apenas o acesso a outra maneira de ler o mundo, mas de reconstruir aquilo que lhe é propiciado por meio desse acesso. Estribados na perspectiva do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), pressupomos que as práticas de letramento, empreendidas durante esse processo de ensino, possibilitam ao estudante estrangeiro em situação de imersão no Brasil, “a oportunidade de tomar conhecimento das diversas formas de posicionamento e de engajamento enunciativos construídos em um grupo” (BRONCKART,2006.p.156), bem como de refletir sobre como agir comunicativamente em uma cultura que não a sua de origem. Daí, a relevância em identificarmos as marcas enunciativas (vozes e modalizações) e como elas são utilizadas em seus textos, neste caso, da modalidade escrita, pois, conforme Bronckart (1999, p. 330) “são esses mecanismos enunciativos que contribuem para o estabelecimento da coerência pragmática ou interativa do texto e orienta o destinatário na interpretação de seu conteúdo temático”. Somemos a isso, a intenção de investigarmos a influência dessas práticas de letramento nessas produções (neste momento, 5 textos escritos), já que assumimos, conforme aponta o mesmo autor, na existência de uma relação entre as diferenças de frequência das marcas enunciativas e o gênero de texto. Se pensarmos na educação em PLE, nas possíveis dificuldades enfrentadas devido às diferenças culturais, nossas investigações poderão demonstrar que a consciência da utilização dessas marcas enunciativas não apenas refletem na maneira como esses estudantes se posicionam, mas igualmente no desenvolvimento de sua identidade.

Palavras-chave: ensino de letramento em PLE; gêneros de texto e interlíngua de aprendentes de PLE

Leia mais...
 
4. Desestrangeirização em Português como Língua Segunda: O Caso ce Estudantes Alemães e Italianos Imprimir E-mail
Escrito por Marcos dos Reis Batista - Universidade Federal do Pará – UFPA - ISSN 2316-6894   

Resumo
Este trabalho no âmbito do ensino-aprendizagem de português para falantes de outras línguas tem por objetivo apresentar algumas reflexões quanto ao processo de desestrangeirização na apropriação do idioma e de colocar em discussão alguns aspectos observados no ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras.

Palavras-chave:Desestrangeirização da língua estrangeira; português para falantes de outras línguas; ensino-aprendizagem de línguas; língua-cultura; língua estrangeira.

Leia mais...
 
5. Simulação, Improvisação, Dinâmica de grupos e Trabalho em Duplas na aula de Português como Língua Estrangeira Imprimir E-mail
Escrito por Carolina Clérici - Universidad Nacional de Entre Ríos - ISSN 2316-6894   

Resumo
Para se aprender a falar uma língua estrangeira é necessário falar. O tempo de fala do aluno na aula de línguas estrangeiras é reduzido, e menor no caso de turmas numerosas. Pesquisas mostram que depois de cinco ou seis anos numa aula de língua estrangeira o aluno falou, na verdade, aproximadamente duas horas. É preciso aumentar esse tempo. O presente trabalho tenta oferecer ferramentas opções para aumentar o tempo de fala do aluno e assim desenvolver sua competência comunicativa através da simulação, da improvisação, da dinâmica de grupose do trabalho em pares ou duplas.

Palavras-chave: desenvolvimento da oralidade na aprendizagem de línguas, produção oral, procedimentos para desenvolver a produção oral

Leia mais...
 
6. Análise de Abordagem de Ensino de Língua no Limite Imprimir E-mail
Escrito por Marcelo Santos - Centro Interescolar de Línguas – SEEDF, José Carlos P. Almeida Filho - Universidade de Brasília - ISSN 2316-6894   

Resumo
Neste artigo, discorremos inicialmente sobre a vantagem de se pressupor duas grandes categorias de abordagens de ensino e aprendizagem de línguas (a Gramatical e a Comunicativa) e defendemos a necessidade de o professor estar consciente de sua própria abordagem a fim de que seja capaz de dizer num dado momento por que ensina como ensina. Buscamos o procedimento da análise de abordagem como meio mais confiável de se alcançar tal consciência e de construir teoria aplicada para o ensino de línguas na e para a formação de professores. Na prática, analisamos tão somente a transcrição pronta de uma aula de PLE a que não assistimos e o fizemos sem o auxilio de outros dados contextuais recomendáveis como o áudio da gravação, fotos, notas de campo, dados de entrevista e questionário, por exemplo. Fizemos esse exercício conscientes de poderíamos estar no limite das possibilidades oferecidas por esse procedimento proposto inicialmente por Almeida Filho em 1999. Da análise, foi possível identificar a abordagem orientadora da aula, isto é, uma abordagem predominantemente gramatical (levemente comunicativizada) bem como concluir que uma análise de abordagem de ensino de línguas, ainda que operacionalizada no limite do recomendável, nos provê uma análise consistente e útil para uso em situações nas quais não possamos contar com todos os recursos previstos para uma análise plena de abordagem e competências.

Palavras-chave: abordagem gramatical, abordagem gramatical comunicativizada, abordagem comunicativa, análise de abordagem, PLE.

Leia mais...
 
7. O Tratamento do Léxico no Livro Didático Terra Brasil Imprimir E-mail
Escrito por Liliane de Oliveira Neves, Ana Maria Nápoles Villela, Jerônimo Coura-Sobrinho - Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - ISSN 2316-6894   

Resumo
Este estudo tem como objetivo pesquisar algumas teorias de ensino e aprendizagem de Português como Língua Estrangeira (PLE), focando na competência lexical e verificando se essas teorias se articulam com as atividades propostas no livro didático Terra Brasil: Curso de Língua e Cultura.

Palavras-chave: Teorias de ensino e aprendizagem de PLE, competência lexical, Terra Brasil.

Leia mais...
 
8. Resenha de Livro Imprimir E-mail
Escrito por Iracema Luiza de Souza - Universidade Federal da Bahia - ISSN 2316-6894   

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. Fundamentos de Abordagem e Formação no ensino de PLE e de Outras Línguas. Campinas-SP: Pontes Editores, 2011.

Resumo:
Apresenta-se, no presente trabalho, uma resenha do livro Fundamentos de Abordagem e Formação no ensino de PLE e de Outras Línguas, de José Carlos Paes de Almeida Filho, no qual o autor tece considerações sobre vários temas de relevância no ensino de Português a falantes de outras línguas, com ênfase nas questões de abordagem e formação de professores. A problemática aí discutida não se reveste de interesse apenas para o ensino de Português, uma vez que pode iluminar a prática do professor de outras línguas estrangeiras, como sugere o pesquisador já no título da obra.
Palavras-chave: ensino de PLE, capacitação de professores, teoria e prática pedagógica

Leia mais...
 


Pesquisar