Skip to content

Green color

    Increase font size  Decrease font size  Default font size  Skip to content
Edição 2



Endereço Postal da Revista Siple Imprimir E-mail

Editor-Chefe/Revista SIPLE - Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução (LET) - UnB - IL

Campus Universitário Darcy Ribeiro - Asa Norte ICC Centro  Corredor do LET - sala 10
CEP.: 70.910-900
Brasília-DF

 
Política Editorial Imprimir E-mail
Leia mais...
 
Normas para Publicação Imprimir E-mail

Ao submeter um artigo para publicação na Revista SIPLE, queira observar os seguintes requisitos:

Leia mais...
 
Sumário Imprimir E-mail
Leia mais...
 
Apresentação: A complexificação da área acadêmica e profissional de PLE Imprimir E-mail

A área profissional e científica da Aquisição/Aprendizagem e Ensino de Línguas, articulada teoricamente à pesquisa aplicada no âmbito da Linguística Aplicada, vivencia crescimento e complexificação conforme se expande a oferta das línguas mais frequentemente ensinadas ao redor do mundo. O ensino de uma língua como estrangeira, segunda ou como língua não materna, é pautado pelo desempenho profissional e organizacional dessa língua no mercado global e pela posição dos países parceiros globais em que é falada,na produção cultural de ciência e cultura nas sociedades do conhecimento. Depois que Portugal desempenhou o papel de potência poderosa no início do século 16, com claros índices de disseminação de sua cultura e idioma pelos quatro cantos do mundo nessa época, retornamos ao desempenho do Português como candidato a língua internacional, pela revitalização do capital cultural e econômico de Portugal e pela ascensão do Brasil falante de Português a um patamar de potência emergente do globo. Essas posições ainda não conferem à língua portuguesa de novo o status de língua hegemônica global, mas já refletem a expansão significativa de sua oferta e, consequentemente, expectativas pulsantes de complexificação da oferta do PLE ao redor do planeta. É dessa nova condição de difração do PLE, por conta de seus novos desafios com a oferta crescente dessa língua no mundo, que vai tratar esta coleção de artigos especializados reunidos neste segundo número da Revista da SIPLE. Trata-se de um número temáticoreunindo a produção sobre as especialidades do PLE a partir do 9º. Congresso Internacional de Ensino do Português Língua Estrangeira realizado pela Sociedade Internacional para o Português Língua Estrangeira (SIPLE) na Universidade de Brasília entre 06 e 08 de outubro de 2010.

Leia mais...
 
1. O ABC do Português: Ensino do Português Como Língua de Herança nos Estados Unidos Imprimir E-mail

Resumo
O artigo versa sobre novos contextos do Ensino do Português como Língua Estrangeira, primordialmente sobre o ensino de Português como Língua de Herança (PLH), focando no projeto “O ABC do Português: o ensino do Português como Língua de Herança”, desenvolvido na região de Washington DC (Estados Unidos) desde 2009. “O ABC do Português” é um projeto de extensão iniciado pela Universidade de Georgetown que busca pensar o ensino de PLE além do contexto universitário norte-americano, envolvendo a universidade, a comunidade brasileira (nesse caso, a Associação Brasileira de Cultura e Educação/ABRACE), e em parte, o governo brasileiro. No centro das discussões do projeto estão o treinamento e capacitação de professores de PLH, metodologia para o ensino de PLH, surgimento de um novo campo de saber linguístico para o PLE em contexto de Língua Inglesa, preparação de material didático de PLH, bem como a política linguística do governo brasileiro junto às comunidades brasileiras no exterior. São estas algumas das questões destacadas neste artigo.

Palavras-chave: Português como Língua de Herança (PLH), Português como segunda língua (PLE), comunidade brasileira no exterior, Ensino de Português Língua Segunda (PL2) em contextos norte-americano, bilinguismo, comunidade e língua.

Leia mais...
 
2. Ensino do Português como Língua de Herança: Prática e Fundamentos Imprimir E-mail

Resumo
O ensino do Português como língua de herança (PLH) vem ganhando crescente atenção de profissionais e pesquisadores da área de PLE pela importância prática e teórica dessa especialidade do PLE na transmissão da Língua Portuguesa e de valores culturais brasileiros para filhos de brasileiros nascidos no exterior, ou residindo no exterior, desde muito pequenos. Esse processo tem como alicerce o propósito, emocional e/ou racional, que os pais têm de disseminar suas raízes culturais e sociais e por isso buscam criar ambientes escolarizadores, que proporcionem a seus filhos valorizar e estabelecer um forte vínculo afetivo com sua identidade como cidadãos brasileiros. O envolvimento dos familiares no processo educativo dos falantes de língua de herança é fundamental para a criação do contexto de vivência da língua, e o papel dos professores é extremamente significativo para ampliar e aprofundar essa vivência em sala de aula e completar a conexão. Nossa experiência nos Estados Unidos mostra que a demanda por programas que atendam a essas expectativas está em franca expansão, mas ainda carece de políticas e diretrizes por parte dos órgãos governamentais, de apoio e materiais por parte das autoridades educacionais e de profissionais da educação preparados para enfrentar esses desafios e suas variáveis tão específicas.

Palavras-chave: PLE, Português Língua de Herança, especialidades do PLE

Leia mais...
 
3. O Português e as Línguas nas Fronteiras – Desafios para a Escola Imprimir E-mail

Resumo
Este artigo foi inicialmente uma discussão apresentada na mesa de especialidades de PLE no Congresso da SIPLE/Brasília, 2010. Na ocasião, discutiu-se particularmente sobre a complexidade de ensinar português em cenários sociolinguisticamente complexos como é o caso das regiões de fronteiras (étnicas, no caso de populações indígenas e a proximidade com áreas urbanas) e geopolíticas – no caso das fronteiras com países hispano-falantes com as fronteiras brasileiras. O fio condutor se materializa nas perguntas – quais os desafios de ensinar português nestas situações? O português para estas populações é segunda língua? É língua estrangeira? Mato Grosso do Sul é o lócus destas discussões.

Palavras-chave: fronteiras, ensino de PLE, contextos complexos.

Leia mais...
 
4. Ensino-Aprendizagem de PLE Para Crianças e Jovens Chineses: Proposta de Capacitação Docente Imprimir E-mail

Resumo
Este artigo qualifica-se como relato de uma experiência situada no espaço de formação de crianças e jovens, cuja língua materna é o chinês, e que integram 60% do corpo discente de uma escola de Ensino Fundamental e Médio da cidade de São Paulo. As dificuldades dos professores em atuar na área de PLE orientaram a construção de um projeto de capacitação docente, fundamentado em teorias sobre o ensino-aprendizagem de PLE, cujo relevo é atribuído a procedimentos didáticos, fundamentados em princípios da Lexicultura. Tais princípios, por sua vez, funcionariam como ancoragem para uma proposta pedagógica léxico-gramatical do português brasileiro. Nesse sentido, este trabalho aponta para algumas reflexões críticas referentes a resultados obtidos de um trabalho inicial que implicou a configuração do perfil discente, por meio da aplicação de uma Análise de Necessidades, cujos resultados serviram de base para orientar o trabalho de capacitação docente, no que diz respeito à diferenciação entre o ensino de PLM e o de PLE, de modo a reconfigurar a construção de propostas didáticas significativas e elaboradas pelos próprios professores.  

Palavras-chave: Português Língua Estrangeira (PLE); capacitação docente; Pedagogia Léxico-Gramatical.

Leia mais...
 
5. Alunos Estrangeiros na Escola Pública do Distrito Federal: Um Retrato de Novos Desafios Imprimir E-mail

Resumo
Averiguou-se que, no período de 2008 e 2009, o quantitativo de alunos estrangeiros (doravante AE) matriculados nas escolas da rede pública de ensino do Distrito Federal demonstrou um crescimento do número de matrículas: foram matriculados 230 AE em 2008 e 284 em 2009. Estes AE frequentam as salas de aula sem saber o português e, portanto, enfrentam dificuldades na aquisição/aprendizagem da língua de escolarização, o que torna a comunicação inviável, e compromete a integração social e o desempenho escolar.  A legislação brasileira garante ao AE não apenas o acesso à educação, mas também lhes assegura o direito a um tratamento diferenciado que minimize os efeitos da barreira linguística, que tantos obstáculos interpõem ao sucesso acadêmico. Os resultados deste estudo revelaram que a aquisição lacunar da língua portuguesa tem neutralizado as oportunidades de aprendizagem dos AE das diversas disciplinas curriculares, prejudicado a sua socialização e integração à escola, ofuscado a diversidade lingüística e cultural representada, no contexto escolar, pelos alunos oriundos de minorias étno-linguísticas e se oposto à política da escola inclusiva. O retrato da realidade dos AE apontou a demanda por uma política lingüística afirmativa por parte dos órgãos reguladores do ensino no Distrito Federal para que implementem ações e programas que promovam o ensino de português como segunda língua aos AE visando adaptá-los aos estudos curriculares e integrá-los ao ambiente escolar ao qual pertencem.     

Palavras-chave: aquisição/aprendizagem de L2; ensino de PL2 na escola regular; política lingüística.

Leia mais...
 
6. Bilinguismo de Escola: Português para Estrangeiros no Contexto da Escola Bilíngue (Português/Inglês) Imprimir E-mail

Resumo
O ensino de Português para estrangeiros no contexto da escola bilíngue (Português/Inglês) oferece um excelente campo de investigação em Linguística Aplicada, pois há uma crescente tendência no mundo globalizado de abertura de escolas bilíngues, as quais recebem alunos estrangeiros oriundos de diversos países e culturas. Para isso, as escolas precisam estar preparadas para enfrentar os desafios no que se refere ao ensino e a aprendizagem de Português como Segunda Língua (PSL)/Língua Adicional (PLA).

Palavras-chave:Português para estrangeiros, contexto bilíngue, desafios

Leia mais...
 
7. Português como Segunda Língua para Comunidades de Trabalhadores Transplantados Imprimir E-mail

Resumo
Embora o Brasil seja um país de imigrantes, tendo recebido, durante os últimos 500 anos, estrangeiros vindos das mais diversas partes do globo, há muito pouco tempo pesquisadores e professores de português como segunda língua (PL2) perceberam ser esta uma área específica a que devem voltar seus olhares. Este trabalho visa apresentar essa especialidade, descrevendo o fenômeno das chamadas comunidades de trabalhadores transplantados, que vêm crescendo em grandes centros urbanos, como São Paulo. Debruçar-nos-emos sobre a questão da integração entre as culturas e as línguas envolvidas, sobre as iniciativas individuais e de organizações não-governamentais em relação ao ensino de PL2 para esse público, além de atentarmos para o imenso campo de pesquisa linguístico-cultural e sócio-educacional que essa área representa.

Palavras-chave: Português Segunda Língua; Imigração; Interculturalismo.

Leia mais...
 
8. Ensino de Português LE/SL em Comunidades de Trabalhadores Transplantados Imprimir E-mail

Resumo

Inserido em um contexto mais amplo de relações sociais, econômicas, políticas, trabalhistas e culturais, o ensino e aprendizado de Português Língua Estrangeira (doravante PLE) a imigrantes em São Paulo encontra-se, em alguns casos, atrelado a questões ligadas à inclusão, seja por meio de iniciativas de instituições públicas, entidades religiosas ou organizações não governamentais. Nos últimos anos, acompanhamos algumas iniciativas de instituições que buscam atender a população socialmente vulnerável, na qual está inserida parte da comunidade de imigrantes bolivianos, grupo que acompanhamos mais atentamente. Pretendemos com este texto contribuir para a ampliação de discussões que congreguem essas iniciativas sob uma perspectiva que leve em consideração, não apenas os documentos e as propostas inclusivas oficiais, mas também as características dos imigrantes e suas capacidades de escolha e reorganização de sua existência no novo espaço.

Palavras-chave: Ensino e aprendizagem de PLE, inclusão de imigrantes bolivianos em São Paulo

Leia mais...
 
9. O Ensino do Português para Fins Jurídicos em Macau Imprimir E-mail

Resumo
Este trabalho apresenta um curso de PFOL (Português para Falantes de Outras Línguas) voltado a alunos de Direito em Língua Chinesa da Universidade de Macau, China. O texto aborda a importância do ensino de português no contexto jurídico do território, bem como vários pontos importantes que devemos ter em conta ao se elaborar um curso de língua estrangeira para fins específicos. O nosso objetivo é estimular a discussão nesta nova área que vem surgindo: a de novas especialidades no ensino de PFOL, que está em pleno crescimento em razão do iminente processo de internacionalização da Língua Portuguesa.

Palavras-chave: PFOL para fins específicos, Estudantes de Direito, Aprendentes Chineses

Leia mais...
 


Pesquisar