Skip to content

Green color

    Increase font size  Decrease font size  Default font size  Skip to content
8. Resenha de Livro Imprimir E-mail
Escrito por Iracema Luiza de Souza - Universidade Federal da Bahia - ISSN 2316-6894   

ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes. Fundamentos de Abordagem e Formação no ensino de PLE e de Outras Línguas. Campinas-SP: Pontes Editores, 2011.

Resumo:
Apresenta-se, no presente trabalho, uma resenha do livro Fundamentos de Abordagem e Formação no ensino de PLE e de Outras Línguas, de José Carlos Paes de Almeida Filho, no qual o autor tece considerações sobre vários temas de relevância no ensino de Português a falantes de outras línguas, com ênfase nas questões de abordagem e formação de professores. A problemática aí discutida não se reveste de interesse apenas para o ensino de Português, uma vez que pode iluminar a prática do professor de outras línguas estrangeiras, como sugere o pesquisador já no título da obra.
Palavras-chave: ensino de PLE, capacitação de professores, teoria e prática pedagógica

Abstract:
This paper presents a review of the book Fundamentals and Training Approach in PLE and Other Languages teaching, written by José Carlos Paes de Almeida Filho. In this work, the author reflects on various topics of relevance to the teaching of the Portuguese to speakers of other languages, with emphasis on issues related to teaching approach and teacher training. The issues discussed here are of interest not only to Portuguese language teaching, since it can illuminate the practice of the teacher of other foreign languages, as suggested by the researcher already in the title.
Keywords: PLE teaching, teacher training, pedagogical theory and practice

Considerações preliminares

O livro Fundamentos de Abordagem e Formação no ensino de PLE e de Outras Línguas, de José Carlos Paes de Almeida Filho, resulta do encontro da reflexão teórica, construída pelo autor no âmbito da Linguística Aplicada, com as experiências práticas por ele desenvolvidas no campo de estudos do ensino de Português para falantes de outras línguas. A esse respeito, convém destacar que o Prof. Almeida Filho é responsável por extensa lista de publicações – coletâneas por ele organizadas e trabalhos de sua autoria - que tomam por objeto de estudo o ensino de Português como segunda língua e como língua estrangeira, conjunto de obras produzido paralelamente à intensa atividade acadêmica desenvolvida anteriormente na UNICAMPI e, em seguida, na UnB. Assim, ministrando aulas na graduação e na Pós-Graduação das instituições em cujos departamentos tem sido lotado como membro efetivo, orientando mestrandos e doutorandos, participando da definição de políticas para a SIPLE e implementando-as, participando de projetos especiais como o Programa de Formação Integral Continuada de Professores de Português como Língua-Não-Materna (Curso PROFIC), o Prof. Almeida Filho vem contribuindo com regularidade e consistência para a dinamização de ações no campo da Linguística Aplicada ao ensino de Português como língua adicional.

Estrutura da Obra

O trabalho apresentado compõe-se de oito capítulos, sendo apenas dois - os Capítulos 2 e 4 – escritos em parceria com o Prof. Ricardo Moutinho. Em todos eles, sobressai a preocupação com o ensino de línguas e, em particular, com o ensino de Português L2/LE, bem como se destaca o desejo decorrente dessa preocupação: o de contribuir para a formação de professores.

No Capítulo 1 – Ensino-Aprendizagem de LE e L2: Fundamentos de Abordagem e Formação, o autor sublinha a necessidade de uma postura nova, fundamentada em princípios postulados pelas novas tendências da Linguística Aplicada. Critica, em consequência, o modelo tradicional de formação de professores, para defender uma abordagem em consonância com um novo olhar sobre ensino de línguas estrangeiras e capacitação de professores, postura cientificamente fundamentada nos achados oriundos de investigações que se concretizam no campo da LA. Tais pontos de vista são assim discutidos pelo autor:

No passado, e ainda hoje, tem predominado o modelo do dizer o que se deve fazer no ensino, ou seja, de explicar aos professores em formação o conhecimento autorizado sobre o que e como ensinar a língua-alvo seguindo-se as práticas tidas como modelares ou recomendáveis. (...) Hoje, o modelo vigente e amplamente abrangente para a formação de professores (e de alunos aprendizes no futuro próximo) não é mais, portanto, o prescritivo treinamentista, mas o descritivo-reflexional-transformador, informado crescentemente por conhecimentos advindos da pesquisa e da teoria reorganizada e condensada por autores de larga aceitação (teoria relevante com T maiúsculo) e não mais a tradição e arte apenas. (p. 13)

Convém destacar que o capítulo em tela apresenta cinco divisões, através das quais Almeida Filho discute inúmeras questões teóricas e metodológicas centrais para o ensino de línguas estrangeiras, cuja presença ele considera imprescindíveis no planejamento dos cursos de formação de professores. Assim, além de uma introdução e das considerações finais, o autor discute a necessidade de uma base teórica para o ensino e a aprendizagem de línguas na Seção 2, discorre sobre um modelo que represente o processo de ensinar e aprender uma L2 na Seção 3 e aborda a necessidade de uma reflexão específica para a formação de docentes na Seção 4.

O Capítulo 2 – Sentidos de Ensinar PLE no Mundo, produzido em parceria com o Prof. Ricardo Moutinho, da Universidade de Macau, toca numa questão da maior atualidade, o PLE no mundo, sobretudo quando se considera que essa língua, falada em muitos países, é a língua materna dos brasileiros, maior contingente populacional de falantes do Português. Os autores que assinam esse capítulo assim se manifestam sobre o interesse crescente pela aprendizagem e pelo ensino dessa língua:

A discussão sobre como ensinar o português em cursos de PLE no exterior está ganhando cada vez mais espaço e intensidade no contexto da oferta desse idioma e cultura brasileira no exterior. Isso pode estar ocorrendo em razão da posição que o Brasil hoje ocupa no cenário econômico mundial como país emergente (sétima economia mundial pelos indicadores de 2010), pela sua atuação no Mercosul expandido, pela crescente entrada de capital estrangeiro no país através de empresas transnacionais ou acordos políticos e econômicos que o Brasil tem assinado com outros países emergentes como a China, Índia, Rússia e África do Sul (os chamados BRICS). (p.41-42)

Convém assinalar que o capítulo aponta também uma série de implicações decorrentes do interesse crescente pelo idioma brasileiro: multiplicação de cursos no Brasil e no exterior, criação de Centros e Institutos Brasileiros em vários países, tratando como um verdadeiro desafio as dificuldades que precisam ser resolvidas nesse campo . Ainda nesse contexto, são formuladas considerações sobre a questão da identidade nacional.

O Capítulo 3 – Ensinar Uma Nova Língua Para Aquisição trata das diferenças nos modos de ensinar e aprender uma nova língua. Postula-se a necessidade da adoção de uma postura diferenciada em relação ao ensino tradicional de línguas estrangeiras. Na oportunidade, Almeida Filho assinala que tal postura ainda não está inteiramente instalada nem tampouco bem compreendida por quem toma a si a tarefa de ensinar o Português – profissionais e instituições.

A preocupação com ensinar e aprender o Português é retomada também no Capítulo 4 – Aprender PLE na Universidade. Agora explorada sob o viés do ensino universitário, Almeida Filho e Mourinho sublinham, na análise, as novas necessidades que se afiguram em decorrência das mudanças no mundo de hoje.

Em Gramática e Ensino de Línguas, temática escolhida por Almeida Filho para eixo do capítulo cinco, são discutidas duas concepções sobre o lugar da gramática no ensino de línguas. Ao fazê-lo, o autor contrapõe a visão racionalista, tradicional e cheia de certezas que predominou no ensino de línguas estrangeiras a uma abordagem, segundo o autor, “de corte maisnaturalista’.” Dessa perspectiva e com base nos postulados, por exemplo, de Stephen Krashen (1982), o importante é estar na língua interagindo com outros falantes, expondo-se à língua-alvo para adquiri-la de fato.

Ensino de Português Língua Estrangeira/EPLE: a Emergência de uma Área é a problemática discutida no Capítulo 6. Para isso, o autor evoca princípios teóricos e metodológicos formulados nos cinco primeiros capítulos do livro, sempre dando continuidade e ampliando pontos de vista apresentados e discutidos em publicações anteriores.

De atualidade indiscutível no ensino de línguas estrangeiras é a temática explorada no Capítulo 7 – Língua Além da Cultura ou Além da Cultura, Língua? Aspectos do Ensino da Interculturalidade. Nesse capítulo, a introdução se faz seguir de duas seções que discutem de modo particular o lugar do aspecto cultural e a interculturalidade no ensino. Reveladora do ponto de vista do autor sobre a matéria é esta citação na qual se configura a hipótese por ele sustentada:

A hipótese que vamos levantar a partir de uma síntese do nosso momento teórico alinhado por um paradigma comunicativo socialmente comprometido é a de que o lugar da cultura é o mesmo da língua quando essa se apresenta como ação social propositada. A experiência com e na língua-alvo em atividades envolventes e tidas como relevantes pelos alunos favorece o trabalho pela consciência cultural do outro e da própria L1 na aquisição de uma nova língua. (p. 10)

Fecha a obra aqui resenhada o Capítulo 8 – Tendências Atuais no Ensino de Línguas. Nele, Almeida Filho reúne elementos cruciais desse tipo de ensino, discutidos em oito seções, a saber: 1. O aluno aprendente e adquirente, 2. O professor de língua/de uma nova língua, 3. Terceiros, 4. A teorização necessária, 5. Objetivos e planejamento do ensino, 6. Os materiais, 7. O método, a aula e duas extensões, 8. A avaliação. Nesse capítulo, evidencia-se mais uma vez a fidelidade do Prof. Almeida Filho à temática que vem ocupando sua atenção ao longo de toda uma existência: a problemática do ensino de línguas, que está explícita ou implicitamente presente na reflexão que o autor empreende nesse mais recente livro.

Finalizando

Constata-se do que até aqui foi dito que o novo livro do Prof. José Carlos Paes de Almeida Filho representa mais uma etapa na produção acadêmica de um estudioso que desde cedo elegeu como objeto de estudos a realidade complexa de ensinar e aprender línguas, com destaque para dois aspectos dessa área: o ensino de Português LE/L2 e a formação do professor. Trata-se de mais uma etapa, pois certamente novos estudos serão por ele levados a cabo, outras obras serão produzidas, sempre buscando articular as conquistas da Linguística Aplicada com a experiência de quem tem implementado inúmeros projetos no campo específico do ensino de Português como língua não-materna, seja atuando em cursos de formação, seja no ensino de pós-graduação formando mestres e doutores.

Assim, a leitura de Fundamentos de Abordagem e Formação no Ensino de PLE e de Outras Línguas, publicado pela Pontes em 2011, representa uma iniciativa de grande interesse para quem se inicia ou já milita no campo específico do ensino de Português L2/LE, não só pela resenha de teorias e métodos empreendida como pela contribuição teórica e prática presente nos capítulos e, de modo mais específico, configurada nos Apêndices que permeiam a obra.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

  • ALMEIDA FILHO, JCP. Parâmetros atuais no ensino de Português Língua Estrangeira. Campinas: Pontes Editores,1997.
  • __________________ O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes Editores, 1999.
  • __________________ Dimensões comunicativas no ensino de línguas. Campinas: Pontes Editores, 1998.
  • ___________________; LOMBELLO, LC. O Ensino de Português para Estrangeiros. Campinas: Pontes Editores, 1989.
  • CONSOLO, D. A.; VIEIRA-ABRAHÃO, M. H. (Orgs.). Pesquisas em Linguística Aplicada, Ensino e Aprendizagem de Língua Estrangeira. São Paulo: Editora da UNESP, 2004.
  • KRASHEN, S.D. Principles and practice in second language acquisition. New York: Prentice Hall International, 1982.
  • _____________ Formal and informal linguistic environments in language learning and language acquisition. In TESOL Quartely, vol. 24, nº 2 (p. 157-168), 1976.
  • NÓVOA, A. (Org.) Os Professores e a sua Formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997.
  • PERRENOUD, P. A Prática Reflexiva no Ofício de Professor. Porto Alegre, Artmed, 2002.
  • PRABHU, N.P. Ensinar é no máximo esperar que o melhor aconteça. Trad. Rita de Cássia Dalla Tardin. In Revista Horizontes de Linguística Aplicada. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada/UnB, vol. 02, 2004.
  • WIDDOWSON, H. G. O ensino de línguas para a comunicação. Trad. José Carlos Oaes de Almeida Filho. Campinas: Pontes Editores, 1991.
 

Pesquisar