Skip to content

Green color

    Increase font size  Decrease font size  Default font size  Skip to content
8. A construção da SIPLE: Crônica da primeira gestão e realizações Imprimir E-mail

Resumo:
Esta crônica apresenta uma retrospectiva histórica da SIPLE desde a sua fundação em 1992 até a atualidade, mostrando o desenvolvimento e as ações da Sociedade durante esse percurso. A ênfase maior é colocada na primeira gestão de 1992 a 1995, mas apresenta também fatos e ações relativas à outras gestões. O texto evidencia uma SIPLE participativa e atuante desde seu início, enfatizando as principais participações nos eventos da área no Brasil e no exterior. Finalmente, a retrospectiva termina com a gestão atual, mostrando uma SIPLE consolidada e pronta para seguir a sua vocação internacional.

Palavras-chave: SIPLE, associação de professores de PLE, PLE, Português para Falantes de Outras Línguas

Abstract: This chronicle presents a retrospective review of the founding of the International Society for the Advancement od Portuguese as a Foreign Language (SIPLE) since its opening in 1992 to date, showing its development and actions taken by its first governing board. Although the emphasis is placed in its origins, several relevant facts connected with later presidential boards are chronicled by the author, herself the first president of the Society.

International Society for Portuguese as a Foreign Language, Portuguese to Speakers of Other Languages

 

Primeiros tempos

            Foi assim que tudo começou: era setembro do ano de 1992. Professores pesquisadores da área de Português/Língua Estrangeira, reunidos por ocasião do III Congresso Brasileiro de Lingüística Aplicada, realizado na UNICAMP, se dispuseram a colocar em prática um sonho já há muito acalentado, o de fundar uma Associação que congregasse os profissionais de PLE e conferisse um estatuto de profissionalização, seriedade e maior divulgação à área. Optou-se por uma Sociedade Internacional para que se mantivesse de maneira permanente o vínculo com pesquisadores e profissionais da área atuantes no exterior, e elegeu-se por aclamação a 1a diretoria da SIPLE - Sociedade Internacional Português/Língua Estrangeira, majoritariamente da UNICAMP, que foi assim constituída:

Presidente: Itacira A. Ferreira - UNICAMP

Vice-presidente: Prof. Paulo M. Périssé. – Bahia.

1a. Secretária: Marisa Kimie Morita – PUC/SP.

2a. Secretária: Ana Cecília Cossi Bizon - UNICAMP.

Tesoureira: Elizabeth M. Fontão do Patrocínio - UNICAMP.

Ações e repercussões

Estava plantada a semente, e imbuídos de grande entusiasmo e conscientes da responsabilidade de fazer germinar uma Sociedade representativa dos profissionais da área, iniciamos nosso trabalho do marco zero. Foram elaborados os estatutos e também nos propusemos a organizar um fórum anual em forma de Congresso ou Seminário, onde os professores profissionais e pesquisadores da área pudessem se reunir para apresentação de trabalhos e debates, bem como a elaborar o Boletim semestral da SIPLE, através do qual o associado estivesse em contato com tudo o que estava acontecendo na esfera do Português/Língua Estrangeira, no Brasil e no exterior.

Tratamos também de nos apresentar oficialmente aos órgãos do Governo Brasileiro, como o MEC, o Itamaraty, o Ministério da Cultura e o Ministério da Educação, e de iniciar trâmites nas associações e entidades brasileiras como a SBPC e a ALAB, assim como com a Fédération Internacional de Professeurs de Langues Vivantes, na França. Procuramos também manter contatos com Universidades estrangeiras como as do México, Portugal, França, Estados Unidos etc, sempre procurando divulgar a Sociedade e apresentá-la a potenciais novos membros.

Fomos aos poucos nos tornando conhecidos, dignos de credibilidade, e os convites para a participação da SIPLE em eventos no Brasil e no exterior começaram a acontecer.

É claro que todo esse trabalho inicial teria sido muito mais difícil, não fora a participação efetiva de eméritos colegas como o Prof. Dr. José Carlos Paes de Almeida Filho, e Prof. Dr. Francisco Gomes de Matos, que com apoio, incentivo e colaboração pessoal nos ajudaram a lutar pelos nossos objetivos, e a quem agradecemos e prestamos nossa homenagem. Esses colegas foram muito justamente homenageadosna gestão da Dra. Norimar Júdice, alçados então a membros honorários oficiais da SIPLE. Efetiva e dedicada colaboração foi também a da saudosa colega Leonor C Lombello, pioneira na área de Português/Língua Estrangeira, a quem rendemos nossas homenagens, bem como a profa. Raquel Ramalhete, também revelada grande colaboradora e incentivadora da Sociedade no seu nascedouro.

Neste pequeno artigo, colocamos à apreciação dos leitores os principais momentos da SIPLE durante nossa gestão, de 1992 a 1995., dados agora revisados e expandidos de apresentações e relatos parciais anteriores.

Quando trato da SIPLE, permito-me fazê-lo por meio de uma metáfora dizendo que a SIPLE foi a criança gerada, nascida, e que engatinhou e deu seus primeiros passos na UNICAMP, florescendo como adolescente nas gestões subseqüentes, até chegar ao início de uma maturidade adulta, que é a SIPLE de hoje em 2010.

Na primeira fase de sua existência, a SIPLE esteve presente em diversos eventos da área no Brasil e no exterior, através de conferências, mesas-redondas e mini-cursos.

Em relação as participações em eventos no exterior, destaca-se o II Encuentro Internacional de Lenguas Extranjeras en la Enseñanza, Planificación y Curriculum, realizado no Instituto Italiano de Montevidéu, em 1993.

Nesse Seminário participaram especialistas como Cristián Puren, da França, e de vários países com longa tradição histórica no ensino de línguas como Alemanha, Itália, França, Estados Unidos. Inglaterra. Juntou-se a eles representantes daSIPLE do Brasil, representada através de sua presidente, Itacira A. Ferreira, e também do Prof. José Carlos Paes de Almeida Filho, então professor do Departamento de LingüísticaAplicada na Unicamp, que proferiram as conferências magnas do evento.

Ainda em 1993, participamos do emblemático Seminário Educação sem Fronteiras, Organizado pela Secretaria de Estado da Educação do Paraná em Foz do Iguaçu, onde foi realizado nosso primeiro evento que se chamou 1° Encontro SIPLE, através de uma mesa-redonda presidida pelo Prof. José Carlos Paes de Almeida Filho, e da qual participaram com trabalhos pertinentes ao tema do Congresso os seguintes pesquisadores: Prof. Carlos Freire, diretor do Instituto de Cultura Uruguaio-Brasileiro, de Montevidéu, Profa. Itacira A. Ferreira da UNICAMP, Sonia Regina Reis da Costa, da Secretaria da Cultura da Presidência da República, e Profa. Leonor C Lombello, da UNICAMP.

Outra participação de destaque foi no 3° Congresso Internacional de Português Língua Estrangeira, realizado de 19 a 21/10 de 1994, na Universidade Autônoma do México. A SIPLE foi representada pela Profa. Itacira A. Ferreira, convidada do Ministério das Relações Exteriores e Centro de Estudos Brasileiros do México para participar de uma mesa-redonda. Além de professores e pesquisadores de vários países, foi marcante a participação das Profas. Dras. Ingedore G. V. Koch da UNICAMP, e Stella Maris Bortoni, da UNB.

No Brasil, em 1994, a SIPLE participou da X JELI/E – Jornada de Ensino de Língua Inglesa e outras Línguas Estrangeiras, realizada nos dias 10 e 11 de junho na UNICAMP. A SIPLE participou através de um mini-curso e de uma mesa-redonda, cujo tema foi “O Ensino de Português para Estrangeiros – Desafios e Perspectivas”. Outra participação da SIPLE foi na 46a. Reunião Anual da SBPC realizada de 17 a 22 de julho na Universidade Federal de Vitória, Espírito Santo, oferecendo o mini-curso intitulado “Introdução ao Ensino de Português – Língua Estrangeira, ministrado pelos professores Dr José Carlos Paes de Almeida Filho, acompanhado por Ana Cecília C. Bizon, Elizabeth Fontão do Patrocínio e Marisa Morita, todas elas em processo de formação acadêmica específica em PLE na Unicamp.

Aconteceu também em 1994 o I° Seminário SIPLE, realizado na UNICAMP, de 25 a 26/11, cujo tema foi “O Interculturalismo no Ensino de Português Língua Estrangeira”. O Seminário contou com a presença de 160 participantes de universidades brasileiras, Centros de Estudos Brasileiros e universidades estrangeiras como: Universidade Clássica de Lisboa, Universidade Autônoma do México, Universidade Nacional de Rosário – Argentina, entre outras, além de representante do Instituto Camões de Lisboa, bem como representante do Ministério da Cultura e do Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Os objetivos do Seminário foram plenamente alcançados através dos inúmeros trabalhos apresentados nas conferências, mesas-redondas e comunicações, mostrando o vigor da área e expondo a variedade da pesquisa e as mudanças paradigmáticas no processo de ensino-aprendizagem de PLE no Brasil e no exterior. Esse evento se constituiu num marco histórico, na medida em que foi o 1o. evento solo na área de Português Língua Estrangeira.

No período de 1994 e 1995, a SIPLE apoiou algumas iniciativas na área de PLE, tais como:

-- Programa de Atualização de Professores de Português para Estrangeiros nos Centros de Estudos Brasileiros no Exterior. Tais cursos foram ministrados pelo Prof. Dr. José Carlos Paes de Almeida Filho e contou com a colaboração de outros docentes como Ana Cecília C. Bizon, na Argentina, Itacira A. Ferreira, em Montevidéu, Elizabeth F. do Patrocínio, no Chile, e Marisa Morita, na Costa Rica. Foram também ministrados cursos nos CEBs de Assunção, Barcelona e Roma..

-- Criação do curso de Pós-Graduação (lato-sensu) em Montevidéu, através de um acordo entre a Universidad de La República de Montevidéu, o Ministério da Educação do Uruguai, o Instituto de Cultura Uruguaio-Brasileiro e a UNICAMP.

A iniciativa pioneira sob a coordenação do Prof. Dr. José Carlos Paes de Almeida Filho, ofereceu aos participantes uma formação em nível de Especialização no Ensino de Português como Língua Estrangeira, única nas Américas. Participaram dessa iniciativa os seguintes professores da UNICAMP: Marilda Cavalcanti, Ataliba de Castilho, José Carlos Paes de Almeida Filho, John Schmitz, bem como a profa. Elizabeth F. do Patrocínio

Temos de registrar também outras ações que foram desenvolvidas pela SIPLE, já que em cada gestão a Diretoria procurou fazer o melhor. Foram muito importantes a continuação dos contatos iniciados na primeira gestão, mantidos com Universidades e Associações Estrangeiras, resultando muitas vezes numa parceria exitosa, como aconteceu com a Associação de Professores de Português de Lisboa e a SIPLE, que publicaram em parceria a antologia “Para acabar de vez com Tordesilhas”, cujos organizadores foram a profa. Norimar Júdice, então Presidente da SIPLE, e o prof. Paulo Feytor, da Associação de Professores de Português de Lisboa. A coletânea se compõe de artigos de professores atuantes na área de PLE no Brasil e em Portugal.

Outra ação importante da SIPLE foi o apoio ao Seminário Internacional de Português como Língua Estrangeira em Macau, realizado em 1997. Dos muitos trabalhos apresentados constam contribuições de pesquisadores e professores atuantes no ensino de PLE e de Português e Lingüística, entre os quais estão os doutores João Malaca Casteleiro, Maria José Grosso, Mário Vilela, Maria Fernanda Bacelar de Portugal, profa. Xú Yixing da Universidade de Xangai na China, e como convidado brasileiro, o prof. José Carlos Paes de Almeida Filho. O Seminário ofereceu aos seus 150 participantes oportunidades para uma abrangente exploração do ensino de Português como língua estrangeira no mundo, e em particular no Oriente.

Outro evento internacional que recebeu o apoio da SIPLE foi o XIX Congresso da Fédération Internacionale des Professeurs de Langues Vivantes, ( FIPLV), sediada na França. A Universidade Federal de Recife foi a sede do evento, cuja temática foi “Por uma Compreensão Intercultural no Século XXI – A aprendizagem de Línguas em um Contexto Humanístico.”A SIPLE organizou uma mesa-redonda coordenada pela profa. Norimar Júdice sobre “A Formação de Professores de PLE como Interculturalistas”, que contou com a participação das profa. Eliana Amarante Mendes (UFMG), Itacira A. Ferreira, (UNICAMP) e profa. Neide de Souza e Silva (UFPE).

Com relação a veiculação de notícias da área entre os associados, a partir de 1995 o boletim SIPLE passou a ser quadrimestral, e além da publicação de pequenos artigos  como já vinha fazendo, passou a  apresentar uma retrospectiva dos principais acontecimentos do ano anterior, bem como uma agenda dos novos eventos nacionais e internacionais, notícias sobre publicações e materiais na área, resenhas de dissertações e teses, mostrando um movimento contínuo em termos de pesquisa e ensino na área de \PLE.

Na gestão de 1999 a 2001, foi criado um novo logotipo para a SIPLE e o boletim deu lugar ao Jornal da SIPLE. Nesse período, nos II e IV Congressos, contemplou-se todas as áreas de conhecimento abrangidas pela SIPLE: A Lingüística Descritiva, A Lingüística Aplicada, o Português como segunda língua  para surdos e indígenas, a Cultura da Língua Portuguesa, mas principalmente dando ênfase ao Português como Língua Estrangeira. Um avanço desse Congresso foi a distribuição gratuita aos participantes dos anais do evento em CD-Rom.

Finalmente, em 1995 foi realizado durante o IV Congresso Brasileiro de Lingüística Aplicada na UNICAMP, o II Seminário Anual da SIPLE de 01 a 03 de setembro. Durante o evento foi eleita a nova Diretoria para o biênio 96/97. A Diretoria eleita foi encabeçada pela Presidente Profa. Dra. Norimar Júdice da Universidade Federal Fluminense, sendo eleita Vice-presidente a Profa. Gema Andrade da Costa Val, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Concluindo

Nossa missão estava finalizada. Restava-nos a consciência de ter buscado realizar todo o possível durante nossa gestão. Entregamos a SIPLE ao competente e dinâmico trabalho da nova Diretoria em Niterói, na certeza de que teríamos não só uma continuidade do que havíamos feito, mas uma expansão e consolidação das bases da Sociedade, o que de fato analisamos como de fato obtido.

Da época da criação da SIPLE até agora passaram-se 18 anos. Hoje nos deparamos com uma SIPLE que vem buscando cumprir seus objetivos principais de apoio ao ensino e a pesquisa em PLE e de incentivo à formação docente continuada, e nos sentimos orgulhosos de fazer parte da história desta Sociedade que cresceu em bases bem sedimentadas, através do fortalecimento de laços profissionais e institucionais que tornaram a SIPLE o que é hoje, uma Sociedade consolidada na área de PLE fortalecida com inúmeros doutores e mestres com teses e dissertações defendidas na área de PLE em diversas universidades brasileiras.

Para finalizar, destacamos a gestão que ora termina sob a presidência do prof. Dr. José Carlos de A. Filho e Sr. Fabrício Muller da Argentina, que marcou uma nova fase na história da SIPLE, iniciando a configuração da sua verdadeira vocação para setornaruma Sociedade Internacional. O Congresso realizado em 2009 em Buenos Aires  foi o marco dessa nova caminhada que esperamos seja contínua através dos anos. O Congresso contou com a participação de professores e pesquisadores brasileiros e estrangeiros e com a presença da Decana da Facultad de Lenguas Modernas da UMSA de Buenos Aires, do representante da Embaixada do Brasil na Argentina, e do chefe da Divisão de Promoção da Língua Portuguesa, Conselheiro Leonardo Lott Rodrigues, do Departamento Cultural do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores do Brasil). O tema do Congresso foi “o Português como Nova Língua: Visões Contemporâneas de Acesso”, e os trabalhos apresentados em conferência, mesas-redondas e comunicações provocaram debates e encaminhamentos de grande interesse para os profissionais da área de PLE. Ressalto aqui a inesquecível homenagem prestada pela SIPLE ao meulongo compromisso com a área de ensino e pesquisa do PLE vivido em grande parte naUniversidade Estadual de Campinas.

Hoje, somos associados, colaboradores e expectadores dos destinos da SIPLE. Que esses dezoito anos de existência nos façam repensar o papel desta Entidade, que nasceu de um sonho e almeja um lugar de destaque e de veiculadora dos ideais dos profissionais da área, e nos conscientize do papel que desempenhamos neste dialogar de culturas, que é o ensinar uma língua estrangeira.

 Nos tempos atuais, é preciso congregar saberes e experiências, que aliados a boa vontade e aos meios disponíveis se materializarão no desenvolvimento cada vez mais promissor de nossa área. Em última análise, o que almejamos é que o Português se firme como língua internacional e de cultura, e que os profissionais da área possam implementar um ensino contemporâneo e de qualidade nos contextos do Brasil e do exterior.

Serão estes anseios demasiadamente ambiciosos? Talvez, mas como diz o poeta “sonhar é preciso...” só espero que este sonho não demore a se concretizar, mas com certeza, quem viver verá!

Esperamos também que este texto motive outros ex-presidentes e pessoas ligadas à SIPLE a escrever sobre esta Sociedade e seu trabalho de legitimação da área através dos anos.

Itapema, SC, 26 de setembro de 2010.

 

Pesquisar